NOTÍCIAS

12/07/2016 - TSE disponibiliza 11 aplicativos para eleições de 2016

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vai disponibilizar, até o início das eleições deste ano, um total de 11 aplicativos de smartphones com diferentes funcionalidades, para aperfeiçoar o trabalho da Corte, orientar o eleitor e ampliar o acesso a informações sobre os candidatos.
Eles estarão disponíveis nas plataformas iOS e Android, em smartphones e tablets.
O projeto eletrônico teve início na eleição de 2012, quando a Justiça eleitoral disponibilizou o primeiro aplicativo “Onde Votar ou Justificar”. Ele permite que o eleitor consulte a zona eleitoral em que está apto para votar ou onde justificar seu voto.
Chama mais atenção, no entanto, aplicativos em que o eleitor pode consultar a situação do candidato na Justiça: processos e situação no Judiciário.
Isso pode ser feito por meio do app “JE Processos”. A reportagem do JOTA testou o aplicativo e constatou que, de maneira simples, basta consultar a situação do candidato ou por seu nome (Nome da parte), ou nome do advogado ou o número do processo.

Consultando pelo presidente interino Michel Temer (PMDB), por exemplo, aparece que há 15 processos em que Temer é listado como parte.

Até a publicação desta reportagem, apenas três aplicativos estão disponíveis: “Agenda JE”, “JE Processos” e “Candidaturas”. Neste último, o eleitor pode consultar o nome do candidato, sua coligação, o número para votar e o partido que pertence.
Ele proporciona, também, verificar se o candidato é ficha-limpa, analisando sua prestação de contas. É possível, também, observar se a candidatura sofreu alguma contestação por parte do Ministério Público Eleitoral e se o candidato está apto para ser votado.
Questionado, o secretário de Tecnologia da Informação (T.I) do TSE, Giuseppe Janino, garantiu que até o início das eleições, os 11 aplicativos estarão disponíveis e atualizados. A expectativa do tribunal, segundo ele, é que, nas duas plataformas, os aplicativos cheguem a 2 milhões de downloads.
Dos 11 aplicativos, dois são para uso interno dos funcionários da Justiça Eleitoral. “QRCode do RUNIN” e QRUEL” vão servir para análise do funcionamento correto da urna e, também, verificar se é necessária a substituição.
Equipe
O secretário disse que um total de 40 técnicos especialistas em T.I, dos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE’s) de todo o país, trabalharam na elaboração dos aplicativos, em um período de seis anos.
Para ele, caso fossem feitos pela iniciativa privada, os aplicativos custariam mais de R$ 1 milhão. Ele disse que o Tribunal não precisou separar nenhum montante específico para o desenvolvimento dos apps.
“Foi apenas uma prioridade tecnológica dos especialistas em T.I dos 27 tribunais eleitorais do país, dentro do orçamento do Tribunal”, afirmou.
Denúncias
Por meio do aplicativo “Pardal”, o eleitor vai poder denunciar à Justiça eleitoral possíveis crimes que o candidato está cometendo, enviando uma foto ou vídeo, que vão diretamente ao tribunal regional correspondente, com por geolocalização.
“Sabemos que a utilização de outdoors são proibidos. Caso isso seja constatado basta que o eleitor envie uma foto que um juiz eleitoral vai avaliar o caso”, exemplificou Janino.
Ele disse, também, que fotos e vídeos de irregularidades podem servir como prova definitiva para condenação de candidatos.
Confira abaixo a lista de todos os aplicativos
Nome do App: Agenda JE
Resumo: Aplicativo disponibiliza as principais datas do período eleitoral.
Disponível para o eleitor: Sim.


Nome do App: JE Processos
Resumo: Com o aplicativo, o eleitor pode consultar, por nome da parte, advogado ou número do processo, a situação do candidato na Justiça Eleitoral.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: QR Code
Resumo: Ferramenta vai possibilitar que o eleitor, por meio da câmara de seu smartphone, consulte as informações do Boletim de Urna, impresso após o final da votação.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: Candidaturas
Resumo: Com o aplicativo, o eleitor pode consultar o nome completo do candidato, número, situação do registro de candidatura, cargo, partido e coligação a qual pertence.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: Agregador
Resumo: Aplicativo tem por função ser prestador de serviços, aglutinando informações para o eleitor sobre local da votação, orientações para justificativa, informação sobre propaganda eleitoral e notícias produzidas pela equipe de comunicação do TSE.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: Pardal
Resumo: O aplicativo vai proporcionar aos eleitores a indicação de irregularidades cometidas por determinados candidatos nas campanhas. Uma foto de um outdoor (proibido pela Justiça Eleitoral) pode ser tirada e enviada diretamente à zona eleitoral correspondente.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: Onde votar ou justificar
Resumo: Objetivo do aplicativo é apontar ao eleitor o endereço correto de onde ele pode votar ou justificar, caso esteja fora de sua zona eleitoral.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: Apuração
Resumo: Com o aplicativo é possível acompanhar, em tempo real, a apuração de votos em determinado município. Pode, também, selecionar candidatos e ir acompanhando sua situação.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: Mesários
Resumo: Objetivo do aplicativo é trazer informações sobre todos os mesários que participam das eleições e dar orientações sobre qual o procedimento correto.
Disponível para o eleitor: Sim.
Nome do App: QRUEL”
Resumo: Na véspera da eleição, o funcionário do TSE pode fotografar o QRCODE da urna, que vai dizer o estado da mesma e verificar seu funcionamento.
Disponível para o eleitor: Não, somente para uso interno.
Nome do App: “QRCode do RUNIN”
Resumo: Faz a checagem geral da urna e analisa se é necessária uma manutenção específica.
Disponível para o eleitor: Não, somente para uso interno.


http://jota.uol.com.br/tse-disponibiliza-11-aplicativos-para-eleicoes-de-2016




<< Voltar


 
ENDEREÇO

Av. Salmão, 663, sala 43, Parque residencial aquarius
São José dos Campos - SP

E-MAIL

advocacia@abdalathomaz.adv.br

TELEFONE

12 3308-5308

D4W